De acordo com os objectivos gerais de formação do curso de Mestrado em Relações Internacionais (Governação e Sistema Global), este projecto de formação visa proporcionar uma sólida preparação nas áreas espaciais e conceptuais, bem como nos aspectos históricos, políticos, sociais, económicos e sistemas jurídicos do sistema global (isto é, o complexo de instituições, e das estruturas sociais, políticas, econômicas e culturais que caracterizam a vida internacional na era da globalização e com as quais o aparato nacional deve se confrontar). O curso, portanto, foi construído para propor um caminho que seja capaz de responder às demandas do novo conjunto de relações internacionais e criar o especialista em assuntos internacionais e torná-lo o candidato ideal para carreiras em instituições internacionais, diplomacia, múltiplas variedades de órgãos governamentais ou não governamentais que interagem com o fenômeno da internacionalização.

O Programa de Mestrado em LM / 52 em Relações Internacionais oferece aos alunos um caminho de reflexão crítica e aprofundamento temático das questões complexas relacionadas com a dimensão internacional das sociedades modernas, com uma econômica. Esse caminho também é enriquecido pela aquisição de uma pluralidade de ferramentas necessárias para a exploração dos temas escolhidos por cada aluno de acordo com suas vocações e expectativas profissionais. Consequentemente, a classe LM / 52 em Relações Internacionais é principalmente orientada para proporcionar aos graduados de primeiro nível uma preparação avançada nos campos conceitual e instrumental da governança internacional, analisados com referência às dimensões histórica, legal e econômico-social e ao complexo sistema de relações existentes, a nível internacional (europeu e extra-europeu), entre sistemas estatais e entre estes e os sistemas supranacionais.

Por fim, o curso tem como objetivo fornecer conhecimento e ferramentas que permitam ao aluno abordar e atuar conceitualmente dentro das atividades da comunidade internacional relacionadas à dinâmica e aos múltiplos cenários em que os processos de governança ocorrem e que cada vez mais parecem estar sujeitos às influências da globalização.

Objetivos específicos do curso

  1. melhoria de tais conhecimentos e habilidades e de sua aplicação em novas questões ou incluídos em diferentes contextos (Descritores I e II de Dublin);
  2. aquisição de julgamento independente e a capacidade de integrar o conhecimento necessário para gerenciar situações complexas e avaliar todos os elementos conectados, incluindo os éticos e sociais (Descritor de Dublin III);
  3. aprimoramento das habilidades de comunicação e das mesmas habilidades de aprendizagem que permitem um estudo mais aprofundado (Dublin Descriptors IVe V).

A realização destes objetivos é facilitada pela base interdisciplinar do caminho; a contribuição dos Professores Visitantes, o uso da língua inglesa na realização de alguns cursos e o incentivo à participação em atividades extracurriculares, como seminários; Completar parte do programa de estudos no estrangeiro através dos programas Socrates-Erasmus e Globus; estágios de especial importância nas relações internacionais, como os organizados pelo Ministério das Relações Exteriores em colaboração com a Conferência dos Reitores; Estágios em organizações governamentais e não governamentais internacionais, em agências de cooperação para o desenvolvimento e em centros de investigação cuja atenção se centra nos fenómenos estudados na dimensão internacional ou transnacional.

De acordo com os quadros ministeriais que prevêem a avaliação das competências TI e telemáticas, estas competências serão aprofundadas graças a algumas lições baseadas em actividades informáticas e laboratoriais multimédia, como previsto, por exemplo, para a língua inglesa.

Lojas internacionais

Para graduados em Relações Internacionais, as seguintes oportunidades de emprego estão previstas a nível regional, nacional e internacional:

  • organizações internacionais. Organizações comunitárias (no Parlamento e na Comissão Europeia) e internacionais (governamentais e não governamentais) em que o licenciado em Relações Internacionais, com a sua preparação multidisciplinar, combinada com elementos de especialização nas ciências sociais, podem ser um recurso importante, porque versátil e caracterizado por uma educação lingüística de nível superior;
  • setor público. Instituições locais, regionais e nacionais, para as quais a inclusão de graduados com uma preparação multidisciplinar combinada com habilidades específicas no campo internacional representa ao mesmo tempo a oportunidade de fazer o melhor uso dos programas comunitários e adaptar a ação administrativa nos mais em consonância com o quadro regulamentar em constante mudança, tendo em vista a actividade do sector público baseada na eficácia, eficácia e economia;
  • setor privado. Empresas com atividades desenvolvidas em nível internacional ou que desejam adquirir pessoal adequado para esse desenvolvimento. Em particular, as empresas que operam na fabricação e serviços que precisam de graduados com sólida formação multidisciplinar, combinada com uma competência linguística específica.

Teste final

O exame final tem como objetivo verificar o alcance dos objetivos educacionais previstos no curso de estudo.

A Comissão de Graduação avalia o candidato como um todo, levando em consideração tanto o desempenho do exame final quanto outros elementos, como o currículo dos estudos concluídos, o tempo de conclusão do curso universitário, aplicando regras específicas estabelecidas de forma independente pela Estrutura de referência.

Para ser admitido ao exame final, todos os créditos devem ser obtidos nas atividades de treinamento previstas no plano de estudos, exceto aquelas relativas ao exame final propriamente dito.

O exame final consiste na elaboração e discussão de uma tese escrita, também em língua estrangeira, sobre a análise de um caso, um desenho ou atividade de pesquisa sobre um tema escolhido no decorrer das disciplinas do curso ou decorrente de uma experiência de estágio.

A tese deve caracterizar-se pelo rigor metodológico, o domínio dos temas abordados e a originalidade da contribuição. Deve expressar a aquisição do conhecimento qualificado do curso, a capacidade de ler os problemas de forma independente e definir as soluções à luz das indicações e propostas desenvolvidas no contexto europeu ea realização de um bom nível de comunicação escrita e oral.

Para passar no exame de graduação, a pontuação mínima de 66 pontos deve ser obtida.

A Comissão tem 7 pontos, dos quais 6 a serem atribuídos após a avaliação de mérito sobre a qualidade do projeto e 1 como recompensa no caso da obtenção do título atual.

A possível outorga das honras, além da pontuação máxima de 110 pontos, está sujeita à relevância apurada dos resultados alcançados pelo candidato e à avaliação unânime da comissão. O presidente da comissão é responsável por garantir a regularidade total da realização do exame e a aderência das avaliações finais aos critérios gerais estabelecidos pelos órgãos responsáveis pelo curso de estudo. A realização de exames finais de graduação é pública e pública é o ato de proclamação do resultado final.

A discussão do exame final para a concessão da qualificação é pública.

Programa ministrado em:
  • Inglês
  • Italiano

Ver mais 16 programa(s) oferecido(s) por University of Cagliari »

Última atualização Dezembro 15, 2018
Este curso é No câmpus
Data de início
Out. 2019
Duration
2 anos
Período integral
Por local
Por data
Data de início
Out. 2019
Data de término
Prazo para inscrição

Out. 2019

Location
Prazo para inscrição
Data de término