Instituto Politécnico de Tomar

Introdução

História

O Instituto Politécnico de Tomar foi criado em 1973, publicado em Decreto Lei 402/73, de 11 de Agosto, pelo então Ministro da Educação e Ciência, Veiga Simão. Com a revolução, em 1974, o processo da sua instalação não se concretizou.

Em 1979, foi criado, como Escola Superior de Tecnologia de Tomar (ESTT), não integrada, pelo então Ministro da Educação, Luis Veiga da Cunha, cuja comissão instaladora só seria nomeada em Outubro de 1982, pelo então ministro Frausto da Silva, constituida pelo Presidente, Professor Doutor Pacheco de Amorim, e vogais, Dr Julio Dias das Neves e Drª Maria do Rosário Baaeta Neves. Os primeiros Cursos entraram em funcionamento em 1986, nas instalações sitas na Av. Candido Madureira, Tomar.

A política de ensino superior em Portugal definia que só poderia existir um Politécnico por Distrito e, assim, em 1985, por DL 46/85, de 22 Novembro, foi a ESTT integrada no Politécnico de Santarém. Mais tarde, em 1994, por DL 304/94 de 19 de Dezembro, o seu nome foi alterado para Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Tomar (ESTGT).

Em 1986 entraram em funcionamento os primeiros cursos do IPT: Gestão de Empresas (Responsável o Professor José Ribeiro Mendes), Construção Civil (Responsável o Professor António Paiva) e Tecnologia de Celulose e Papel (Responsável o Professor Rui Santa Ovaia), com um total de cerca de 90 alunos. Em 1987 entrou em funcionamento o Curso de Artes Gráficas (Responsável o Dr. António Guilhermino Pires) e, em 1988, o Curso de Estudos Especializados em Arte, Arqueologia e Restauro ((Responsável o Professor Luis Osterbeek).

Em 1996, por DL 96/96, de 17 de Julho, o então Ministro da Educação e Ciência, Eduardo Marçal Grilo, fez publicar a criação do Instituto Politécnico de Tomar (IPT), com a Escola Superior de Gestão (ESGT) e com a Escola Superior de Tecnologia (ESTT), ambas em Tomar, já no seu novo Campus, com efeitos a partir de 1 de Janeiro de 1997. Foi nomeado Presidente do IPT o Professor Doutor Pacheco de Amorim, tendo indicado para seus assessores o Professor José Faria Paixão, o Professor José Ribeiro Mendes, que acumulava com a Direcção da Escola de Gestão, e o Professor Rui Santa Ovaia que acumulava com a Direcção da Escola de Tecnologia.

Os estatutos do IPT e das Escolas foram entretanto homologados e a Professora Conceição Fortunato assumiu a Direção da ESGT e o Professor Luis Merca assumiu a Direcção da ESTT.

Em 1999, pelo DL 264/99, de 14 de Julho, foi criada, no IPT, a Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA), dirigida pelo Professor Eugénio Pina de Almeida. Em 2005, foi nomeado para dirigir a ESTA, o Professor Miguel Pinto dos Santos.

Em 2005, foi eleito Presidente o Professor António Pires da Silva.

Em 2010, foi eleito o atual Presidente Eugénio Pina de Almeida. Foram nomeados diretores para a ESTT o Professor João Coroado, para a ESGT a Professora Conceição Fortunato e, para a ESTA, o Professor Luis Ferreira.

Missão

1 — O IPT é uma instituição de ensino superior politécnico, no espaço europeu do ensino superior, dotada de valências nas áreas das ciências, tecnologias, artes e humanidades que, desde a sua génese, concorrem complementarmente para a superior formação dos seus estudantes, produzindo conhecimento útil, capacidades, competências e aptidões, preparando-os para o mercado de trabalho e para o exercício de uma cidadania activa numa sociedade democrática.

2 — O Instituto Politécnico de Tomar assume ainda como sua missão: a expansão do acesso ao saber em benefício das pessoas e da sociedade, através da investigação, do ensino e da cooperação, num projecto de formação global do indivíduo; a participação activa na construção de um espaço europeu de investigação e educação, e de um modelo de desenvolvimento regional assente na criação, inovação e valorização do conhecimento científico e tecnológico.

3 — No âmbito do cumprimento da sua missão o IPT:

  • Valoriza a actividade dos seus investigadores, docentes e funcionários, estimula a formação intelectual e profissional dos seus estudantes e assegura as condições para que todos os cidadãos devidamente habilitados possam ter acesso ao ensino superior e à aprendizagem ao longo da vida;
  • Promove a mobilidade efectiva de estudantes e diplomados, tanto a nível nacional como internacional, designadamente no espaço europeu de ensino superior e na comunidade de países de língua portuguesa;
  • Participa em actividades de ligação à sociedade, designadamente de difusão e transferência de conhecimento, assim como de valorização económica do conhecimento científico;
  • Contribui para a compreensão pública das humanidades, das artes, da ciência e da tecnologia, promovendo e organizando acções de apoio à difusão da cultura humanística, artística, científica e tecnológica, e disponibilizando os recursos necessários a esses fins.

Factos e Personalidades

Uma referência no Instituto Politécnico de Tomar é o Professor Doutor José Bayolo Pacheco de Amorim, sendo o Presidente da instituição desde a sua instalação, em 1982, até 2005. O IPT atribuiu o seu nome ao Auditório Principal.

O Professor António Pires da Silva foi o segundo Presidente do IPT, entre 2005 e 2010. É, ainda hoje, Membro do Conselho Geral e Presidente do Gabinete de apoio à presidência.

O Professor Julio Dias das Neves pertenceu, desde 1982 até 1996, á direcção do IPT, tendo sido atribuido o seu nome ao Auditório O106. Pertenceu ao Conselho Geral até 2014.

O primeiro Professor, Luis Oliveira Dias, tomou posse em 27 de Fevereiro de 1984.

Ofélia Ferreira foi a primeira Chefe dos Serviços Administrativos.

Alguns factos e números:

• Em 1982 as primeiras instalações foram numa sala arrendada no Centro Comercial Templários, na Alameda 1 de Março, em Tomar.

• Em 1984 iniciam as obras das primeiras instalações do IPT, na Avenida Cândido Madureira, Tomar, que viriam a ser adquiridas no ano seguinte.

• Em 1986 entraram em funcionamento os primeiros cursos do IPT: Gestão de Empresas (Responsável o Professor José Ribeiro Mendes), Construção Civil (Responsável o Professor António Paiva) e Tecnologia de Celulose e Papel (Responsável o Professor Rui Santa Ovaia), com um total de cerca de 90 alunos.

• Em 1987 entrou em funcionamento o Curso de Artes Gráficas (Responsável o Dr. António Guilhermino Pires) e, em 1988, o Curso de Estudos Especializados em Arte, Arqueologia e Restauro ((Responsável o Professor Luis Osterbeek).

• Em 1988 foi publicado o primeiro Guia do Aluno.

• Em 1989 sairam os primeiros diplomados Bacharéis para o mercado de trabalho. Joaquim Pombo, do Curso de Gestão de Empresas, José Casimiro Pereira, Vitor Flor Gaspar e Natércia Santos, do Curso de Tecnologia de Ceculose e Papel, e Orlando Lopes da Fonseca, são dos primeiros diplomados, hoje Docentes ou Técnicos Superiores no IPT.

• Em 1989 foi lançada a primeira pedra do Campus do IPT em Tomar e as primeiras aulas iniciaram-se em 1991.

• Em 2014 o IPT tem oferta de 21 Licenciatura, 21 Mestrados, 8 Pós Graduações, 17 Cursos de Especialização Tecnológica e 5 Outros Cursos Breves.Tem cerca de 3000 Alunos.

• Até 2014, o IPT já teve matriculados cerca de 13000 alunos, sendo que já foram diplomados mais de 10000.

Prémios

O Instituto Politécnico de Tomar tem recebido vários prémios ou distinções, seja como instituição, seja no âmbito das suas escolas ou dos seus cursos.

  • O IPT foi distinguido pela Comissão Europeia com a ECTS (European Credit Transfer System) Label, i.e. o reconhecimento de uma excelente utilização do Sistema Europeu de Transferência de Créditos. Somos uma das instituições de ensino europeu com uma das melhores mobilidades europeias com o respetivo reconhecimento de créditos de aquisição de competências.
  • Um crédito corresponde a 25-30 horas de trabalho numa dada competência educacional que estabelece o conhecimento, a compreensão e a capacidade que o aluno deve aprender com sucesso. Os créditos obtidos na formação no IPT são reconhecidos de excelência na Europa e temos protocolos com estabelecimentos de ensino superior na Bélgica, Bulgária, Eslovénia, Republica Checa, Espanha, Eslováquia, França, Hungria, Itália, Lituânia, Polónia, Roménia, Suècia e Turquia.
  • O IPT foi distinguido pela Comissão Europeia com a DS (Diploma Supplement) Label, i.e. o reconhecimento da emissão de um excelente Suplemento ao Diploma, onde se registam informações suplementares à formação curricular do estudante. O Suplemento ao Diploma melhora a transparência Internacional e facilita o reconhecimento académico e profissional das qualificações. Permite descrever a natureza, o contexto, o nível, os conteudos e com que estatuto o aluno completou as qualificações do Diploma de que é portador.

Em 2008 tivemos o Prémio Ouro do programa Erasmus para o Curso Intensivo de Gestão de Qualidade do Património Cultural.

Erasmus Mundus, logo em 2004, no primeiro grupo seleccionado pela Comissão Europeia.

Em 1994 o IPT recebeu o prémio Erasmus, pelo atividade do Professor Luis Osterbeek.

Vários prémios em Design e Video Documental já foram atribuidos a alunos do IPT.

Essa escola oferece programas em:
  • Portuguese (Portugal)

Ver programas de mestrado »

Programas

Esta escola também oferece:

Master

Mestrado em Arqueologia Pré-Histórica a Arte Rupestre

campus Período integral October 2017 Portugal Tomar

O ciclo de estudos integra: Um curso de mestrado, organizado em unidades curriculares, que corresponde a 80 ECTS; Uma tese final, que corresponde a 40 ECTS. [+]

Oferecer uma sólida formação cultural, científica e tecnológica, sustentada por uma estrutura curricular e um plano curricular que inclui o permanente contacto com situações reais em laboratório e in situ. O modelo deste ciclo assenta no desenvolvimento de um conjunto diversificado de competências para excelentes saídas profissionais e para prosseguir estudos de pós-graduação e mestrado. Objectivos O ciclo de estudos integra: Um curso de mestrado, organizado em unidades curriculares, que corresponde a 80 ECTS; Uma tese final, que corresponde a 40 ECTS. O programa de estudos do curso de mestrado compreende o desenvolvimento de conhecimentos nas seguintes áreas técnico-científicas: Pré-História (6 ECTS obrigatórios e até 18 ECTS opcionais), Geologia do Quaternário (6 ECTS obrigatórios e até 18 opcionais), Paleoantropologia (6 ECTS obrigatórios e até 18 ECTS opcionais), Métodos e Técnicas (6 ECTS obrigatórios e até 18 ECTS opcionais), Museografia e Didáctica (6 ECTS obrigatórios e até 18 ECTS opcionais), trabalhos de campo e laboratório (8 ECTS) e créditos opcionais a obter em projectos de congressos, publicações e afins (até 9 ECTS). O mínimo de créditos a frequentar em módulos lectivos é de 63 ECTS e o máximo é de 72 ECTS. Saídas profissionais Os detentores do grau de mestre em Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre estarão preparados para os seguintes perfis profissionais, entre outros: Sector público: Arqueólogos municipais; Administração Central (DGPC e serviços dependentes); Museus; Serviços de gestão patrimonial e turística. Sector privado: Empresas de arqueologia; Empresas de património cultural e turismo; Empresas com serviços de gestão territorial. Ensino: Ensino superior politécnico; Ensino superior universitário; Ensino profissional em arqueologia, património cultural e arte rupestre. Mercado internacional de trabalho: Ensino superior; Museums; Serviços governamentais; Ensino profissional; Consultoria. Requisitos de qualificação Os cursos de mestrado são regulamentados pela legislação portuguesa e pelas normas regulamentares dos cursos de mestrado definidas pela Escola Superior de Tecnologia de Tomar. Para completar o ciclo de estudos de mestrado é necessário obter 120 Créditos ECTS, estruturados em módulos lectivos, trabalhos de campo e de laboratório, artigos, congressos e tese final. A cada crédito ECTS correspondem 27 horas de trabalho total dos alunos. Requisitos de graduação A conclusão do ciclo de estudos requer a aprovação em todas as unidades curriculares que o compõem, incluindo a defesa pública do trabalho de projeto ou do relatório de estágio, de forma a totalizar 120 Créditos ECTS, sendo 30 obrigatórios, 40 de tese, 8 de campo e 42 a escolher entre as opções permitidas no plano de estudos, e segundo as regras gerais e específicas de avaliação. Resultados da aprendizagem Os detentores do grau de mestre em Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre deverão ser capazes de: Identificar e caracterizar sítios e contextos arqueológicos, no seu quadro ambiental e cultural; Identificar recursos arqueológicos e integrá-los em programas de ordenamento do território de modo a captar investimentos, com a consequente criação de postos de trabalho e fixação de populações a nível local e regional; Dominar as técnicas básicas de arqueologia de campo nos domínios da pré-história, proto-história e arte rupestre; Dominar o léxico básico e compreender as principais sub-áreas de competência emArqueologia Pré-Histórica, Arte Rupestre, Tecnologia Lítica, Tecnologia Cerâmica, Arqueologia Experimental,Arqueologia Latino-Americana, Aplicações Informáticas à Arqueologia, Geo-Arqueologia, Paleoantropologia, Arqueometria, Arqueo-botânica, Zoo-arqueologia, Museografia e Didáctica; Demonstrar plena autonomia em pelo menos uma das seguintes sub-áreas: Arqueologia Pré-Histórica, Arte Rupestre, Tecnologia Lítica, Tecnologia Cerâmica, Arqueologia Experimental, Arqueologia Latino-Americana, Aplicações Informáticas à Arqueologia, Geo-Arqueologia, Paleoantropologia, Arqueometria, Arqueo-botânica, Zoo-arqueologia, Museografia e Didáctica; Compreender a importância da valorização e exploração sustentada dos recursos arqueológicos como factores de rentabilização e de minimização de impactes negativos; Avaliar o potencial científico, didáctico, patrimonial e cultural dos locais de interesse arqueológico e paisagístico no sentido do seu aproveitamento como veículo de promoção e desenvolvimento regional; Elaborar roteiros arqueo-turísticos no sentido de divulgar e projectar as regiões; Elaborar mapas de riscos no domínio do património arqueológico, no âmbito do ordenamento do território. Creditação das aprendizagens prévias A creditação tem como limite 60 ECTS, tendo os alunos, nessa eventualidade, a possibilidade de requerer a conclusão do curso num ano lectivo. Informação ao candidato Os interessados deverão dirigir requerimento de admissão ao curso e carta dirigida ao Director do Mestrado fundamentando o interesse no curso e a área de especialização pretendida (os interessados em preparar dissertação de Mestrado poderão indicar um tema eventual), anexando Curriculum Vitae, fotocópia de certificado de habilitações, fotocópia de bilhete de identidade / cartão de cidadão / passaporte e de nº de contribuinte, e Boletim de candidatura. Os candidatos que estejam a concluir licenciatura no corrente ano lectivo podem concorrer condicionalmente (esta situação deve ser mencionada no requerimento de admissão). A documentação deve ser enviada por correio para: Secretariado do Mestrado em Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre Instituto Politécnico de Tomar Quinta do Contador - Estrada da Serra 2300-313 Tomar - Portugal Tel. (+351) 249 346 363 / Fax. (+351) 249 346 366 Email: mestrados.gri@ipt.pt A seriação dos candidatos é efectuada pela Comissão Directiva do Mestrado, tendo por base os seguintes critérios, que são idênticos aos definidos pelo Mestrado Europeu Erasmus Mundus, num total de 100 pontos: Classificação da Licenciatura (max.20) Carta de motivação do candidato (max.15) Conhecimento de inglês ou francês (max. 10) Conhecimento de outras línguas (max. 5) Experiência profissional em Arqueologia (max.20) Qualificações adicionais, designadamente outros graus académicos ou publicações (Max. 5) Adequação da temática de teses ou publicações anteriores (max. 20) Idade (5 pontos para os menores de 30 anos) Os candidatos podem ser submetidos a entrevista, sempre que a Comissão Directiva do Curso assim o entenda. Áreas fundamentais de formação: Pré-História, Paleoantropologia, Geologia do Quaternário, Métodos e Técnicas em Arqueologia e Didáctica do Património. Áreas fundamentais de especialização: Arqueologia Pré-Histórica, Arte Rupestre, Tecnologia Lítica, Tecnologia Cerâmica, Arqueologia Latino-Americana, Aplicações Informáticas à Arqueologia, Geo-arqueologia, Arqueometria, Arqueo-botânica, Paleobotânica, Zoo-arqueologia, Arqueologia Sub-Aquática, Gestão de Qualidade do Património (Colaboração do programa HERITY), Geologia do Quaternário, Pré-História e Gestão do Património. Outras especializações no quadro da rede Erasmus Mundus. Estatísticas de antigos diplomados: 70% a trabalhar em Arqueologia; 25% em Doutoramento. Principais regiões de investigação: Vale do Tejo (Portugal e Espanha), Grécia, Angola, Namíbia, Tanzânia, Brasil. Local: As aulas de Mestrado decorrem maioritariamente no Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo, Mação. Alguns módulos decorrem em Tomar. Regime: Presencial. A maioria dos módulos obrigatórios funcionará à 6ª feira e Sábado. Alguns módulos funcionarão durante a semana. Propina: 2000,00 Euros (1000,00 Euros/Ano), acrescidos de 150,00 Euros de taxa de inscrição + 2,00 Euros de seguro escolar anual. Matrículas: decorrerão de 9 a 12 de Outubro de 2015 nos Serviços Académicos do IPT, sendo necessária a seguinte documentação: fotocópia de cartão de cidadão/bilhete de identidade /passaporte e Nº de Contribuinte (a entregar posteriormente no caso de alunos estrangeiros), 2 fotos tipo-passe, fotocópia de boletim de vacinas (vacina do tétano actualizada) e preenchimento de boletim de matrícula (a fornecer pelos Serviços). Deverão ainda pagar a taxa de inscrição (150,00 Euros) e seguro escolar anual (2,00 Euros). Continuidade de estudos: Os formandos no âmbito do Mestrado, para além de outros programas, poderão prosseguir os estudos nas mesmas linhas de investigação no Doutoramento Erasmus Mundus em Quaternário e Pré-História. Início de aulas: 12 de Outubro 2015. [-]

Mestrado em Auditoria e Análise Financeira

campus Período integral October 2017 Portugal Tomar

O programa de estudos do curso de mestrado compreende o desenvolvimento de conhecimentos nas seguintes áreas técnico‑científicas. [+]

Oferecer uma sólida formação cultural, científica e tecnológica, sustentada por uma estrutura curricular e um plano curricular que inclui o permanente contacto com situações reais em laboratório e in situ. O modelo deste ciclo assenta no desenvolvimento de um conjunto diversificado de competências para excelentes saídas profissionais e para prosseguir estudos de pós-graduação e mestrado. Objectivos O ciclo de estudos integra: Um curso de mestrado, organizado em unidades curriculares, que corresponde a 77 ECTS; Um trabalho de projeto, original e especialmente realizado para este fim, ou um estágio de natureza profissional objeto de relatório final, que corresponde a 43 ECTS. O programa de estudos do curso de mestrado compreende o desenvolvimento de conhecimentos nas seguintes áreas técnico‑científicas: Contabilidades (69 ECTS obrigatórios e 18 ECTS opcionais); Financeiras (19 ECTS obrigatórios e 13 ECTS opcionais); Gestão (4 ECTS obrigatórios e 5 opcionais); Direito (5 ECTS obrigatórios); Matemática (5 ECTS obrigatórios). Saídas profissionais Os detentores do grau de mestre em Auditoria e Análise Financeira estarão preparados, entre outros, desempenhar funções nas seguintes áreas: Financeira; Seguradora; Auditoria (como trabalhador de sociedades de revisores oficiais de contas; Contabilidade (como trabalhador de sociedades de técnicos oficiais de contas); e Análise Financeira. Requisitos de qualificação Os cursos de mestrado são regulamentados pela legislação portuguesa e pelas normas regulamentares dos cursos de mestrado definidas pela Escola Superior de Gestão de Tomar. Para completar o ciclo de estudos de mestrado é necessário obter 120 Créditos ECTS, distribuídos por 4 semestres curriculares de acordo com a estrutura curricular do curso. A cada crédito ECTS correspondem 27 horas de trabalho total dos alunos. Requisitos de graduação A conclusão do ciclo de estudos requer a aprovação em todas as unidades curriculares que o compõem, incluindo a defesa pública do trabalho de projeto ou do relatório de estágio, de forma a totalizar 120 Créditos ECTS, sendo 102 obrigatórios e 18 a escolher entre as opções permitidas no plano de estudos Resultados da aprendizagem Os detentores do grau de mestre em Auditoria e Análise Financeira deverão ser capazes de: Reconhecer os aspetos relacionados com a evolução da auditoria no tempo e a forma com tem respondido à dinâmica das organizações; Relacionar as alterações nos modelos de governação das sociedades com as exigências da auditoria, promovendo a reflexão sobre as tendências atuais e futuras; Conhecer os principais aspetos relacionados a profissão do auditor interno, designadamente, âmbito de atuação, condições de exercício da profissão e pontos de contacto e afastamento com a auditoria externa; Efectuar o levantamento e avaliação do sistema de controlo interno e sua implantação em qualquer organização, independentemente da sua natureza; Conhecer as especificidades na auditoria ao setor público, setor financeiros e setor segurador; Compreender a importância da auditoria estratégica e previsional num contexto de incerteza de mercado; Conhecer os aspetos essenciais referentes ao funcionamento dos mercados e aos instrumentos financeiros, nomeadamente no que se reporta aos principais produtos financeiros (acções, obrigações, etc.); Saber avaliar as melhores alternativas de investimento, tendo em conta a rendibilidade e o risco desses produtos financeiros; Trabalhar com os principais modelos de equilíbrio, tendo em vista a análise e a avaliação de ativos financeiros; Apontar caminhos para uma reestruturação empresarial; Conhecer e aplicar as normas internacionais de contabilidade no contexto empresarial Conhecer os principais impostos numa óptica empresarial. Informação ao candidato Serviços Académicos Vagas 30 Propinas e métodos de pagamento O valor da propina é de 2100,00€, podendo ser feito a pronto ou por 18 mensalidades de 117,00€. Emolumentos Candidatura 60,00€. Documentos necessários Curriculum Vitae detalhado; Certificado de Habilitações; Cópia do bilhete de identidade ou do cartão do cidadão; Cópia do cartão de contribuinte. Calendarização Candidaturas - 1ª Fase Candidaturas * : 01 a 30 de julho de 2015 Seriação/Admissão: 7 de setembro de 2015 Afixação de resultados: 07 de setembro de 2015 Reclamações : 8 de setembro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 10 de setembro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 11 e 14 de setembro de 2015 Candidaturas - 2ª Fase Candidaturas * : 18 de agosto a 30 de setembro de 2015 Seriação/Admissão: 2 de outubro de 2015 Afixação de resultados: 06 de outubro de 2015 Reclamações : 7 de outubro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 8 de outubro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 09 a 12 de outubro de 2015 * Entrega de toda a documentação nos Serviços Académicos do IPT: por correio, para a seguinte morada: Quinta do Contador - Estrada da Serra 2300-313 Tomar por email, para servacademicos@ipt.pt presencial ( no período entre as 09h00-13h00 e as 14h00-17h) - Pagamento do respetivo emolumento. - A formalização da candidatura deve ser efetuada pelo candidato, na plataforma do IPT. Estrutura Curricular Sem área cientifica atribuída Contabilidade Direito Financeira Gestão Matemática [-]

Mestrado em Design Editorial

campus Período integral October 2017 Portugal Tomar

A multidisciplinaridade necessária para a preparação de um profissional de design na área editorial faz com que apetrechemos este mestrado com uma oferta de conhecimentos o mais completa possível. [+]

Sabemos formar designers editoriais! A multidisciplinaridade necessária para a preparação de um profissional de design na área editorial faz com que apetrechemos este mestrado com uma oferta de conhecimentos o mais completa possível. O ensino é orientado pela concretização de trabalhos práticos de índole profissional, sustentados por fortes conhecimentos teóricos e pela análise do mercado editorial nacional e estrangeiro. O programa de estudos do curso de mestrado compreende o desenvolvimento de conhecimentos nas seguintes áreas técnico-científicas: Design Editorial (110 ECTS); Cultura Gráfica (4 ECTS); Comunicação Social (6 ECTS) Objectivos O ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre em Design Editorial tem como objetivo fornecer/aprofundar conhecimentos conceptuais, estratégicos e técnicos na área multidisciplinar do design de edições. Pretende também promover a aquisição/desenvolvimento de capacidades e competências editoriais, criativas, experimentalistas, de planeamento e de trabalho em equipa, com vista à integração no mercado de trabalho nacional e internacional. Saídas profissionais Os detentores do grau de mestre em Design Editorial estarão preparados para os seguintes perfis profissionais, entre outros: Designer Editorial Director de Arte Designer Gráfico Designer Multimédia em: Editoras, Revistas, Jornais, Grupos Editoriais e outros meios de comunicação; em Ateliês de Design, Agências de Publicidade e Empresas de Comunicação; como freelancer. Requisitos de qualificação Os cursos de mestrado são regulamentados pela legislação portuguesa e pelas normas regulamentares dos cursos de mestrado definidas pela Escola Superior de Tecnologia de Tomar. Para completar o ciclo de estudos de mestrado é necessário obter 120 Créditos ECTS, distribuídos por 4 semestres curriculares de acordo com a estrutura curricular do curso. A cada crédito ECTS correspondem 27 horas de trabalho total dos alunos. Requisitos de graduação A conclusão do ciclo de estudos requer a aprovação em todas as unidades curriculares que o compõem, incluindo a defesa pública do trabalho de projeto, dissertação ou do relatório de estágio, de forma a totalizar 120 Créditos ECTS, segundo as regras gerais e específicas de avaliação. Resultados da aprendizagem Os detentores do grau de mestre em Design Editorial deverão adquirir o seguinte conjunto de competências: Competências académicas organizar e implementar uma metodologia do projecto editorial; utilizar, de forma estruturada, os vários níveis de informação concorrentes num projecto editorial; organizar informação coerente e estruturada, partindo de múltiplas plataformas de dados complexos, equilibrando tanto a função com a forma, como o interface descodificável com a expressão comunicativa; desenvolver uma prática e uma atitude experimentalista que permita abordagens próprias e originais em projectos de design editorial; desenvolver iniciativas de internacionalização; desenvolver conhecimentos inovadores no âmbito do mercado editorial; Competências instrumentais utilizar as ferramentas tecnológicas adequadas e actualizadas, de modo a responder com eficácia às exigências do Design Editorial; dominar operativamente técnicas e processos editoriais. Competências interpessoais desenvolver relações interpessoais, sabendo integrar-se numa equipa multidisciplinar de trabalho; integrar uma estrutura de planeamento e de organização editorial; desenvolver projectos de liderança e de cooperação; Competências sistémicas desenvolver processos de auto-aprendizagem que lhe permitam evoluir ao longo da sua futura vida profissional; ter uma visão global na área editorial e das possibilidades em termos de estratégias de actuação; desenvolver um pensamento técnico e criativo, inovar e aprofundar conhecimentos. Informação ao candidato Serviços Académicos Vagas 25 Propinas e métodos de pagamento O valor da propina é de 2100,00€, podendo ser feito a pronto ou por 18 mensalidades de 117,00€. Emolumentos Candidatura 60,00€. Documentos necessários Curriculum Vitae detalhado; Certificado de Habilitações; Cópia do bilhete de identidade ou do cartão do cidadão; Cópia do cartão de contribuinte. Calendarização Candidaturas - 1ª Fase Candidaturas * : 01 a 30 de julho de 2015 Seriação/Admissão: 7 de setembro de 2015 Afixação de resultados: 07 de setembro de 2015 Reclamações : 8 de setembro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 10 de setembro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 11 e 14 de setembro de 2015 Candidaturas - 2ª Fase Candidaturas * : 18 de agosto a 30 de setembro de 2015 Seriação/Admissão: 2 de outubro de 2015 Afixação de resultados: 06 de outubro de 2015 Reclamações : 7 de outubro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 8 de outubro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 09 a 12 de outubro de 2015 * Entrega de toda a documentação nos Serviços Académicos do IPT: por correio, para a seguinte morada: Quinta do Contador - Estrada da Serra 2300-313 Tomar por email, para servacademicos@ipt.pt presencial ( no período entre as 09h00-13h00 e as 14h00-17h) - Pagamento do respetivo emolumento. - A formalização da candidatura deve ser efetuada pelo candidato, na plataforma do IPT. Estrutura Curricular Comunicação Social Cultura Gráfica Design Editorial Design Gráfico [-]

Mestrado em Museus, Património e Sociedade do Conhecimento

campus Período integral October 2017 Portugal Tomar

Inovar pela integração de conhecimentos e competências científicas em Museologia e Museografia e Estudos do Património com a Sociedade de Informação e Conhecimento. [+]

Oferecer uma sólida formação cultural, científica e tecnológica, sustentada por uma estrutura curricular e um plano curricular que inclui o permanente contacto com situações reais em laboratório e in situ. O modelo deste ciclo assenta no desenvolvimento de um conjunto diversificado de competências para excelentes saídas profissionais e para prosseguir estudos de pós-graduação e mestrado. Objectivos Inovar pela integração de conhecimentos e competências científicas em Museologia e Museografia e Estudos do Património com a Sociedade de Informação e Conhecimento. Hoje, as Tecnologias de Informação e Comunicação são uma prioridade na estratégia para a Europa 2020 e para Portugal, sendo as suas Agendas Digitais uma das primeiras iniciativas concretizadas. Um dos objectivos é qualificar profissionais e cidadãos com competências digitais. O objectivo do Mestrado é proporcionar competências digitais no sector da cultura com o objectivo último de se obterem novos serviços e aplicações através de novas formas de interacção e aprendizagem. Os alunos são encorajados a analisar os bens culturais (móveis, integrados e imóveis) numa perspectiva de design de espaços e serviços, de conservação arquitectónica e urbana, da conservação e restauro, da gestão do território e do desenvolvimento regional para que, com recurso às TIC, possam proporcionar uma nova fruição e conhecimento aos cidadãos. Requisitos de graduação Como determinado nas alíneas a) e d), do nº1, do artº 17º, do DL 74/2006, de 24 de Março: Titulares de um grau de Licenciado ou equivalente legal; ou Detentores de um curriculo escolar, científico ou profissional reconhecido pelos órgãos cientificos dos estabelecimento de ensino onde pretendem ser admitidos Resultados da aprendizagem Conhecimento da nova museologia, design de projectos e espaços de modo a viabilizar nos utilizadoresa fruição e interacção com os objectos de arte. Integrar conhecimento de conservação e restauro arquitectónico, urbano e de bens móveis e integrados; de desenvolvimento regional; de gestão do território e da participação em redes europeias e internacionais. Analisar e estudar a utilização da Internet como uma ferramenta para, em ambiente inteligente e seguro, fazer negócio, aprender, comunicar, partilhar, reflectir, colaborar e difundir. Estudar agendas digitais e melhores práticas, ao criar bibliotecas digitais ou produzir novos conteúdos digitais, para fiquem aptos a disponibilizar e difundir conhecimento. Uma visão holística e integrada das áreas cientificas dotará os alunos de capacidade cientifica e técnica para, em situações novas e em contextos alargados e multidisciplinares, resolver problemas actuais e perspectivar novas soluções, serviços e aplicações. Informação ao candidato Serviços Académicos Vagas 35 Propinas e métodos de pagamento O valor da propina é de 3000,00€, podendo ser feito a pronto ou por 4 mensalidades de 750,00€. Emolumentos Candidatura 60,00€. Documentos necessários Curriculum Vitae detalhado; Certificado de Habilitações; Cópia do bilhete de identidade ou do cartão do cidadão; Cópia do cartão de contribuinte. Calendarização Candidaturas - 1ª Fase Candidaturas * : 01 a 30 de julho de 2015 Seriação/Admissão: 7 de setembro de 2015 Afixação de resultados: 07 de setembro de 2015 Reclamações : 8 de setembro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 10 de setembro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 11 e 14 de setembro de 2015 Candidaturas - 2ª Fase Candidaturas * : 18 de agosto a 30 de setembro de 2015 Seriação/Admissão: 2 de outubro de 2015 Afixação de resultados: 06 de outubro de 2015 Reclamações : 7 de outubro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 8 de outubro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 09 a 12 de outubro de 2015 * Entrega de toda a documentação nos Serviços Académicos do IPT: por correio, para a seguinte morada: Quinta do Contador - Estrada da Serra 2300-313 Tomar por email, para servacademicos@ipt.pt presencial ( no período entre as 09h00-13h00 e as 14h00-17h) - Pagamento do respetivo emolumento. - A formalização da candidatura deve ser efetuada pelo candidato, na plataforma do IPT. Estrutura Curricular Sem área cientifica atribuída Estudos do Património MM+EP+SC (Obrig.) Museologia e Museografia Sociedade do Conhecimento [-]

Mestrado em Reabilitação Urbana

campus Período integral October 2017 Portugal Tomar

O programa de estudos do curso de mestrado compreende o desenvolvimento de conhecimentos nas seguintes áreas técnico-científicas. [+]

Oferece uma sólida formação cultural, científica e tecnológica, sustentada por uma estrutura curricular e um plano curricular que inclui o permanente contacto com situações reais em laboratório e in situ. O modelo deste ciclo assenta no desenvolvimento de um conjunto diversificado de competências que permitem várias saídas profissionais e a continuação de estudos em cursos de pós-graduação e mestrado. Objectivos O ciclo de estudos integra: Um curso de mestrado, organizado em unidades curriculares, que corresponde a 75 ECTS; Um trabalho de projeto, original e especialmente realizado para este fim ou um estágio de natureza profissional objeto de relatório final, que corresponde a 45 ECTS. O programa de estudos do curso de mestrado compreende o desenvolvimento de conhecimentos nas seguintes áreas técnico-científicas: Construção (40 ECTS obrigatórios); Estruturas (10 ECTS obrigatórios); Infraestruturas (25 ECTS obrigatórios). Os estudantes podem optar pela realização de um projecto ou de um estágio numa das áreas técnico-científicas, acrescentando a essa área os respectivos ECTS. Saídas profissionais Os detentores do grau de mestre em Reabilitação Urbana devem ser capazes de exercer funções como: Directores de Obra Responsáveis por serviços de Fiscalização de Obras Técnicos Superiores em empresas públicas ou privadas Projetistas ou Consultores Promotores Requisitos de qualificação Os cursos de mestrado são regulamentados pela legislação portuguesa e pelas normas regulamentares dos cursos de mestrado definidas pela Escola Superior de Tecnologia de Tomar. Requisitos de graduação A conclusão do ciclo de estudos requer a aprovação em todas as unidades curriculares que o compõem, incluindo a defesa pública do trabalho de projeto ou do relatório de estágio, de forma a totalizar 120 Créditos ECTS. Creditação das aprendizagens prévias São objecto de apreciação especial, caso-a-caso e de modo formal, os processos para creditação de formação aos licenciados em Engenharia Civil, ou cursos semelhantes, anteriores ao Processo de Bolonha e de duração equiparada a 300 Créditos ECTS (5 anos de estudos). Informação ao candidato Serviços Académicos Vagas 20 Propinas e métodos de pagamento O valor da propina é de 2100,00€, podendo ser feito a pronto ou por 18 mensalidades de 117,00€. Emolumentos Candidatura 60,00€. Documentos necessários Curriculum Vitae detalhado; Certificado de Habilitações; Cópia do bilhete de identidade ou do cartão do cidadão; Cópia do cartão de contribuinte. Calendarização Candidaturas - 1ª Fase Candidaturas * : 01 a 30 de julho de 2015 Seriação/Admissão: 7 de setembro de 2015 Afixação de resultados: 07 de setembro de 2015 Reclamações : 8 de setembro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 10 de setembro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 11 e 14 de setembro de 2015 Candidaturas - 2ª Fase Candidaturas * : 18 de agosto a 30 de setembro de 2015 Seriação/Admissão: 2 de outubro de 2015 Afixação de resultados: 06 de outubro de 2015 Reclamações : 7 de outubro de 2015 As reclamações podem ser entregues ainda até ao fim do prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo Lista Definitiva : 8 de outubro de 2015 Matrículas (1.º ano/1.ª vez) candidatos admitidos: 09 a 12 de outubro de 2015 * Entrega de toda a documentação nos Serviços Académicos do IPT: por correio, para a seguinte morada: Quinta do Contador - Estrada da Serra 2300-313 Tomar por email, para servacademicos@ipt.pt presencial ( no período entre as 09h00-13h00 e as 14h00-17h) - Pagamento do respetivo emolumento. - A formalização da candidatura deve ser efetuada pelo candidato, na plataforma do IPT. [-]

Vídeos

Instituto Politécnico de Tomar

Smarter Fest

World Tourism Day